• Rio de Janeiro/RJ: (21) 3439-8999
  • Londrina/PR: (43) 3323-8744
Compartilhe:

Orientação para tratamento de intoxicação por metais pesados

A exposição humana aos metais pesados pelo meio ambiente têm aumentado muito durante os últimos 50 anos. O excesso de metais como mercúrio, chumbo e alumínio podem acumular-se no organismo por exposição crônica, causando uma enorme variedade de sintomas, entre eles alterações do comportamento por diminuição das funções cerebrais, influenciando na produção e utilização dos neurotransmissores. O excesso de metais no organismo pode levar também a alterações nos sistemas gastrintestinal, neurológico, cardiovascular e urológico.

 

Dr. Tsutomu Higashi fala como se dá a intoxicação por metais pesados em nosso organismo, veja o vídeo:

 

 

 

 

 

Intoxicação por Mercúrio: é um metal pesado utilizado na fabricação de instrumentos, tais como os termômetros, os esfigmomanómetros e os barômetros, nas dentaduras, como componente de medicamentos e em vários processos industriais.

 

Evite contaminantes:

. Amálgama dentário troque por porcela

. Anti-séptico mercúrio cromo (Mertiolate)

. Indústria de tinta e tingimento de roupas, principalmente o jeans.

. Frutos do mar como tubarão, peixe espada, cavala, filé de atum, cação e arenque, dando preferência para os de menor contaminação, como camarão, truta, salmão, atum enlatado e haddock.

. Dar preferência a alimentos orgânicos.

. Pesticidas e fungicidas

. Cuidados especiais devem ser tomados quando quebrar lâmpada fluorescente ou termômetro de mercúrio. O endereço na Agência de Proteção Ambiental americana (EPA) oferece dicas e informações sobre o que fazer em caso de vazamento de mercúrio - http://www.epa.gov/

 

Intoxicação por Chumbo: o metal é amplamente utilizado nas indústrias que produzem cigarro, tinta de cabelo, gasolina e encanamentos de distribuição de água.

Existem duas vias pelas quais o chumbo pode entrar no organismo:

. Respiratória: mais comum em ambientes de trabalho onde os empregados ficam expostos a vapores de óxido de chumbo.

. Digestiva: alimentação contaminada.

Evite contaminantes:

. Tintura dos cabelos

. Esmalte procure utilizar os hipoalergênicos

. Pigmentos usados em tintas 

. Cerâmicas vitrificadas (copos, jarras, pratos)

. Pesticidas

. Cinzas e fumaça de madeira pintada

. Fabricação caseira de baterias

. Moradia próxima de fundições

. Queima de madeiras pintadas

. Alimentos contaminados.

 

Intoxicação por Alumínio: é um metal muito leve, depois do aço é o metal mais usado no mundo.

 

Evite contaminantes:

. Panela de alumínio troque por panela de aço inox

. Frutas ácidas (aumentam a concentração do metal presente no organismo)

. Latas em geral, principalmente de refrigerantes

. Medicações anti-ácidas

. Papel alumínio

. Creme para pele com sais de alumínio

. Desodorantes contendo sais de alumínio, utilizar desodorante sem sais de alumínio como os das marcas L'Occitani e Bioderme.

. Farinha branca de trigo

. Tubo de pasta de dentes de alumínio utilize os de plástico

 

 

Tratamento em caso de intoxicação por metais pesados como mercúrio, chumbo ou alumínio: existe um fármaco, EDTA de cálcio, quando administrado por infusão endovenosa, liga-se ao metal pesado auxiliando sua excreção pela urina. O tratamento deve ter entre 5 a 10 aplicações para que o metal seja eliminado do organismo. É importante evitar os contaminantes, consumir produtos orgânicos e fazer exames anuais de para avaliar a concentração de metais pesados no organismo.

 

 

Para maiores informações entre em contato com a Clínica Higashi Rio de Janeiro (21) 3439-8999 ou Londrina (43) 3323-8744.

 

Produzido por:

Educação e Pesquisa Clínica Higashi - Ortomolecular e Nutrologia Rio de Janeiro e Londrina